Make your own free website on Tripod.com



 


 








 


Eduardo e Mónica.
(Legião Urbana).

Quem um dia irá dizer
Que existe razão
Nas coisas feitas pelo coração,
E quem irá dizer
Que não existe razão?

Eduardo abriu os olhos
Mas não quis se levantar,
Ficou deitado e viu que horas eram
Enquanto Mônica tomava um conhaque
Noutro canto da cidade.

Como eles disseram,
Eduardo e Mônica
Um dia se encontraram sem querer
E conversaram muito mesmo
Pra tentar se conhecer.

Foi um carinha do cursinho
Do Eduardo que disse:
Tem uma festa legal
E a gente quer se divertir.

Festa estranha com gente esquisita.
Eu não tô legal,
Não aguento mais birita!
E a Mônica riu
E quis saber um pouco mais
Sobre o boyzinho
Que tentava impressionar.

E o Eduardo, meio tonto,
Só pensava em ir pra casa:
É quase duas, eu vou me ferrar!
Eduardo e Mônica
Trocaram telefone,
Depois telefonaram
E decidiram se encontrar.

O Eduardo sugeriu uma lanchonete,
Mas a Mônica queria
Ver o filme do Godard,
Se encontraram então no parque da cidade.

A Mônica de moto e o Eduardo de camelo.
O Eduardo achou estranho
E melhor não comentar,
Mas a menina tinha tinta no cabelo.

Eduardo e Mônica
Eram nada parecidos,
Ela era de leão
E ele tinha dezesseis.
Ela fazia medicina e falava alemão,
E ele ainda nas aulinhas de inglês.

Ela gostava do Bandeira e do Bauhaus,
De Van Gogh, dos Mutantes,
De Caetano e de Rimbaud
E o Eduardo gostava de novela
E jogava futebol de botão com seu avô.

Ela falava coisas
Sobre o Planalto Central,
Também magia e meditação,
E o Eduardo ainda estava no esquema
Escola, cinema, clube, televisão .

E mesmo com tudo diferente,
Veio mesmo de repente
Uma vontade de se ver.
E os dois se encontravam todo dia
E a vontade crescia como tinha de ser.

Eduardo e Mônica
Fizeram natação, fotografia,
Teatro, artesanato e foram viajar.
A Mônica explicava pro Eduardo
Coisas sobre o céu, a terra, a água e o ar.

Ele aprendeu a beber,
Deixou o cabelo crescer
E decidiu trabalhar.
E ela se formou no mesmo mês
Que ele passou no vestibular .

E os dois comemoraram juntos
E também brigaram juntos
Muitas vezes depois.
E todo mundo diz
Que ele completa ela e vice versa,
Que nem feijão com arroz.

Construiram uma casa uns dois anos atrás,
Mais ou menos quando os gêmeos vieram,
Batalharam grana e seguraram legal
A barra mais pesada que tiveram.

Eduardo e Mônica
Voltaram pra Brasília
E a nossa amizade dá saudade no verão,
Só que nessas férias não vão viajar
Porque o filhinho
Do Eduardo tá de recuperação.

E quem um dia irá dizer
Que existe razão
Nas coisas feitas pelo coração,
E quem irá dizer
Que não existe razão ?


Home 

Você é linda | Todo Azul do Mar | Pais e Filhos | Oceano | Catedral | Ainda Me Lembro | A PAZ | Coração de Estudante | Anos Dourados | Vento no Litoral | Tempo Perdido | Sapato Velho | Saigon | Romaria | Que País é Esse | Ovelha Negra | Lua e Flor | Lilás | Descobridor dos Sete Mares | Desculpe o Auê | Dona | Foi Deus Quem Fez Você | Asa Morena | Balada do Louco | Bandolins | Banho de Espuma | Escrito nas Estrelas | É Preciso Saber Viver | Eduardo e Mónica. | Mulheres | Nos Bailes da Vida | Planeta Água